A FAMILIA E A IGREJA

Image 1

06/08/2019

 

 

 “... E AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALESCERÃO CONTRA ELA”, (Mt 16.18).

 

            O Instituto Barna,  realizou uma pesquisa com 614 pastores evangélicos, de várias denominações nos Estados Unidos. Os pesquisadores perguntaram aos pastores quais seriam suas prioridades para o ano seguinte, a partir de uma lista de 12 diferentes ênfases ministeriais. O ranking de ênfases ministeriais ficou mais ou menos assim:

  

·         Discipulado;

·         Evangelismo;

·         Pregação;

·         Visitação;

·         Aconselhamento;

·         Adoração;

·         Ministério com adolescentes;

·         Missões;

·         Ação social;

·         Ministério com crianças;

·         Ministério com famílias;

·         Oração.

 

 Não resta dúvida que cada pastor tem a sua paixão por uma área do ministério. Para alguns pastores, o ministério se resume ao evangelismo. Outros em fazer missões. Então toda a igreja é desafiada a se envolver na ênfase ministerial que domina o coração do líder. Creio, porém, que o grande desafio na vida de um pastor é saber equilibrar as várias ênfases ministeriais. Não podemos aceitar que é saudável uma igreja, por exemplo, ter na lista de prioridades, a oração em último lugar. Nós que temos o ministério com famílias no coração nos entristecemos quando percebemos que essa ênfase ministerial está em penúltimo. Quando a liderança pastoral perceber que a família pode servir de plataforma para a evangelização, missões, adoração, serviço e discipulado, temos a certeza absoluta que a Igreja, como um todo, sairá ganhando.

  

Instituições criadas por DEUS:

       

               •    Família (única instituição criada de forma direta e com as mãos de Deus).

               •    Governo.

            •    Igreja.

 

IGREJA: das três é a única que dá sustentação as outras duas, principalmente a família.

            A IGREJA oferece salvaguarda à erosão do grupo familiar.

  

Dentre as grandes escolhas da vida a Igreja está em quinto lugar:

  

1º) Aceitar a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas.

                2º) Escolher a profissão.

            3º) Escolher o cônjuge.

            4º) Escolher onde vamos morar.

            5º) Escolher a Igreja que vamos servir a Jesus Cristo.

  

Principal Missão familiar da IGREJA:

 

•    Ajudar a família a crescer espiritualmente.

                •    Melhorar os relacionamentos familiares.

             •    Preparar os filhos para os ajustamentos necessários à vida.

 

Segundo um índice “americano” de divórcios de membros ativos na Igreja: em torno de 5% dos casais acabam divorciando-se, ou seja, a cada 22 famílias uma sofre separação, no entanto no mundo a cada dois casais um sofre separação. Portanto, o casamento cristão é onze vezes mais seguro que o casamento dos não-cristãos. Antes de nos mudar para algum lugar é necessário nos certificar de que no lugar exista uma boa Igreja. No livro de Atos encontramos famílias reunidas em casas ou em salões, regularmente, para estudar a Bíblia, ter comunhão uns com os outros e para o “partir do pão”, o que atualmente é raro, e vem prejudicando o crescimento da Igreja.

  

Formas de ataques de Satanás às Igrejas:

  

•    Divisões.

                •    Perseguições.

           •    Heresias.

             •    Divisões.

             •    Apostasias.

             •    Conflitos.

             •    Conformidade com o mundo.

             •    E outras formas de ataque sutis e terríveis.

 

DEUS TEM USADO VÁRIAS MANEIRAS DE PROTEGER OS CRISTÃOS MAS A MAIS PODEROSA É A IGREJA.

O livro de Apocalipse fala das sete Igrejas da Ásia, comparando-as aos “candeeiros”  (ou faróis), do Evangelho (Ap. 1-3), mostra Jesus Cristo desejoso de dar-lhes Sua luz  e poder a qualquer Igreja que quiser realizar Sua vontade. Em Mt 16.18, encontramos uma promessa que nos faz confiar nesta Instituição.

 

Objetivos da Igreja:

 

•    Deve pregar a Bíblia de maneira singular.

            •    I Jo 2.12-14 nos mostra que quando a Bíblia é ensinada de maneira adequada ela oferece alimento para todos os membros da família.

            •    Oferece oportunidades de ajudar aos seus semelhantes (boas obras).

            •    De nos relacionarmos com os outros, de maneira sadia, com pessoas que tem interesses comuns.

  

Como escolher a Igreja:

  

•    Orar pedindo sabedoria, (Tg 1.5).

            •    Escolher uma Igreja fiel à Bíblia. (Verificar o Credo Religioso, material da Escola Dominical... etc).

            •    A Igreja deve oferecer alimento para toda família. Existe uma estimativa de que 85% dos pastores atenderam a chamada pastoral em uma escola dominical ou em retiros de jovens.

            •    A Igreja deve oferecer-nos oportunidade de trabalho para DEUS.

            •    Nossa Igreja deve ser aquela que podemos recomendar a outros. Devemos tirar o máximo de proveito da nossa Igreja.

            •    Devemos participar de cultos durante a semana também.

            •    E também “forçarmos” (de forma delicada, mas firme) os filhos a irem à Igreja. “Não hesitamos em mandá-los para a escola, quer queiram ou não”. Quando é que nossos filhos querem irão dentista ou ao médico? E nós não os levamos?

               •    Nunca devemos criticar a “Igreja” na frente das crianças.

  

Vida Social e a Igreja:

  

•    Ambiente de excelente convívio social. Hospitalidade com objetivo certo:

            •    É uma forma de serviço cristão que tem suas raízes na Igreja. “Ganham-se mais pessoas para Cristo pelo amor do que pela lógica, pois todos temos carências de sermos amados”.

 

Desafio às famílias cristãs:

 

•    O que você e sua família estão fazendo em sua Igreja para auxiliar no trabalho cristão?

 
(Tema abordado pela palestrante Eliane K. Deferrari durante o 8º Encontro Para a Consciência Cristã, no I Fórum Campinense para uma Família Sadia, em Campina Grande – Paraíba).

 



Por Gilson Deferrari em 06/08/2019

Comentar este conteúdo (0)

Comentários:


Visite nossa Loja!